Partícula subatômica pode ajudar a detectar urânio que vazou em Fukushima

Depois de mais 4 anos do acidente com a usina nuclear de Fukushima, ainda existe combustível nuclear desaparecido.

Após o terremoto e tsunami que atingiram no local, os reatores da usina não puderam ser resfriados e o urânio de lá acabou derretendo. Por causa dos níveis extremamente elevados de radiação, os cientistas ainda não têm um bom controle de para onde esse combustível foi exatamente, o que impede qualquer plano de limpeza.

fukushima

Mas agora os pesquisadores estão pensando em usar uma partícula subatômica chamada de múon, que se forma na atmosfera superior, para resolver esse problema e saber onde o urânio está.

O múon consegue passar facilmente através da matéria, mas elementos mais densos como o urânio podem desviá-lo. Usando um detector, os cientistas podem criar imagens que parecem raios-X com o caminho das partículas que passaram pelos reatores, potencialmente revelando para onde o combustível nuclear foi.

Fonte: Science Magazine

Deixe seu comentário