Homem x Robô: Quem vence o desafio do tênis de mesa?


Lá nos distantes anos 90 , quando uma experiência colocou o campeão mundial de xadrez Garry Kasparov para enfrentar o computador superinteligente da IBM, Deep Blue, os humanos começaram a perceber que algumas situações previstas pelos filmes de ficção científica não eram tão absurdas assim. O enxadrista de carne e osso venceu a primeira partida contra a máquina em fevereiro de 1996, tranquilizando toda a raça humana, mas como todos sabem a tecnologia avança a galope. Na revanche, em 1997, Deep Blue lavou a honra dos supercomputadores com uma vitória sobre Kasparov no que ficou conhecido como “o mais espetacular evento de xadrez na história”.

O tempo passou e os computadores ficaram cada vez mais “ousados”. Apesar de não termos presenciado (ainda) nenhuma revolução das máquinas como nos filmes Exterminador do Futuro ou Matrix, pelo menos nossos melhores esportistas já estão começando a se preocupar com o avanço da robótica.

Há alguns dias o engenheiro alemão Ulf Hoffmann apresentou ao mundo sua nova invenção: uma mesa de Ping Pong robótica para se jogar sozinho contra um braço mecânico. Com duas câmeras para monitorar o movimento da bola, o robô mostrou-se um adversário quase perfeito:

Com recursos um pouco menos limitados, a fabricante especializada em robótica KUKA (um nome bem adequado para robôs inteligentes, diriam os brasileiros) decidiu usar a ideia de confrontar homem versus máquina para divulgar a qualidade tecnológica de seus produtos. No filme da campanha – muito bem produzido por sinal – o robô da empresa, KR Agilus, “desafiou” ninguém menos que o bicampeão mundial de tênis de mesa,  Timo Boll (outro nome adequado), considerado um dos melhores mesatenistas da atualidade.

E então? Quem vence este aguardado duelo entre máquina e homem? Apesar de ser um vídeo publicitário, cheio de truques, edições e efeitos especiais para amplificar ainda mais a “experiência” (e alcançar o famoso sucesso “viral” na internet) , o impressionante resultado da disputa foi divulgado na semana passada, e você pode conferir abaixo:

Sim! A humanidade pode respirar um pouco mais tranquila… mas não por muito tempo!

O também engenheiro Jose Julio decidiu entrar na brincadeira e, utilizando uma impressora 3D, construiu um robô capaz de jogar (e muito bem) partidas de Air Hockey, um jogo de mesa muito comum nas seções de diversões eletrônicas de shoppings centers. E até agora o AHRobot venceu todos os seus desafiantes humanos! Veja a demonstração do “atleta de lata” neste vídeo:

Pra mostrar que a criatividade humana, assim como a “zoeira”, não tem limites, a empresa alemã Tobit.Software decidiu “ameaçar” os empregos de mais uma categoria de desportistas humanos. Já que robôs são amplamente utilizados na execução de várias tarefas de alta complexidade, como desarmamento de bombas, cirurgias, fabricação de automóveis, etc., chegou a vez de nossos amigos eletrônicos “se divertirem” um pouco.

Pra quem não sabe o Pole Dance, além de uma atividade lúdica, é também um esporte. Portanto, conheça as atletas desta modalidade Tess e Lexy, também conhecidas como as primeiras “robôs strippers” da história:

Desse jeito podemos imaginar que as futuras olimpíadas vão precisar de muito suporte técnico de uma equipe de engenheiros…

Ficou interessado? É melhor começar a treinar!!Assista nossos vídeos para aprender como fazer um robô guindaste hidráulico e uma barata elétrica!

Deixe seu comentário