Quando atacados, escorpiões destarracham ferrão – e algo mais além disso

Existem duas formas de ver um escorpião ao vivo. A primeira é durante uma visita ao seu amigo doutorando em Biologia, porque ele cria uma aranha armadeira num aquário e três escorpiões amarelos num potinho de margarina. Essa forma permite que você veja o escorpião bem de perto experimentando uma forma controlada de pavor.

A segunda forma, bem… é encontrando um escorpião em algum lugar da sua casa, sem potinho algum para conter toda sua glória ameaçadora. Essa forma permite que você ligue para o Controle de Zoonoses e confirme que se for um filhote, é provável que haja vários escorpiões na sua casa. Se for adulto, é provável que haja vários escorpiões na casa do seu vizinho. E assim você também descobre que qualquer controle de pragas cobra mais caro porque escorpiões, por algum motivo, são mais resistentes a venenos que matam baratas e até ratos.

"Com licença, você teria um minutinho para ouvir a palavra do Nosso Senhor Escorpião Rei?"
“Com licença, você teria um minutinho para ouvir a palavra do Nosso Senhor Escorpião Rei?”

Mas como aquele filme Driver nos ensinou, os escorpiões não são criaturas malvadas. Muitos deles provavelmente trabalham duro para criar seus filhotinhos e os levam nos campeonatos das escolinhas de futebol de escorpiões. Fato é que o ataque, o ferrão e o veneno perigoso apenas fazem parte de sua natureza. E só por acaso essa natureza pode te deixar sequelado por algumas semanas, caso tome uma ferroada.

E para você que acha que os escorpiões são insanas máquinas da morte no mundo dos artrópodes, pense de novo. Quando atacados, eles usam o mesmo artifício dos lagartos. Isso mesmo, eles despacham pedaços da cauda até ficarem livres do predador. Começando pelo ferrão, que se destaca e se recupera em questão de dias. E se necessário, descartam segmentos da cauda até perderem seus próprios ânus. Se a medida drástica for utilizada, porém, os escorpiões morrem cerca de 8 meses depois, devido à ausência de um duto excretor. Tadinhos :~

Mecanismo bacana. Só falta voar agora, né? (Brincadeira! Não voa não, por favor)

Fonte: Science Magazine

+ Os mestres quase invisíveis da camuflagem

Deixe seu comentário