Pássaros preveem tempestade e viajam 700km para evitá-la

Quando uma enorme tempestade atingiu os EUA em abril do ano passado, os danos foram inegáveis. 84 tornados passaram arregaçando tudo e deixando 35 mortos com mais de US$1 bilhão em danos à propriedade pública e privada.

Filmes como o clássico Twister, de 1995, já exaltavam os avanços tecnológicos da previsão de desastres naturais. Diversos dispositivos e sistemas foram desenvolvidos para que moradores de regiões turbulentas possam preparar-se com o máximo de antedecência possível a qualquer mudança de humor da mãe natureza. Não necessariamente para impedir os danos materiais, mas para que pessoas possam ao menos buscar abrigo antes dos furiosos ventos e chuvas passarem o rodo pela cidade.

E a própria natureza faz o mesmo. Um grupo de rouxinóis preparava-se para sua migração sazonal, que pretendia cruzar as cidades atingidas pela tempestade. Contudo, os bichinhos previram o desastre e mudaram o destino em quase 700 quilômetros, voando para o extremo sudeste, na ponta da Flórida. Um deles chegou até Cuba, inclusive.

Já é sabido que os pássaros são bons parâmetros para a chegada de uma chuva, pois as mudanças de umidade e pressão atmosférica faz com que suas rotas de vôo modifiquem-se. Contudo, ao analisarem essas variações anteriores à tempestade, um grupo de pesquisadores descobriu que não houve mudanças significativas para que os pássaros as detectassem. Isso os levou a concluir que a chegada da tempestade provocou uma série de sons em frequências subsônicas que os pássaros sentiram em seus ossos e cérebros, deixando-os totalmente preparados para mudar seu destino de migração. Isso é que é sistema meteorológico, hein? 😛

Fonte: Science Magazine

+Como os pássaros sobreviveram ao apocalipse que matou os dinossauros

+Profissão perigo: caçadores de tempestades

Deixe seu comentário