Marisco “baladeiro” reflete luzes para espantar predadores

Não é novidade que algumas criaturas marinhas são equipadas com a sempre maravilhosa bioluminescência; a capacidade de produzir sinais luminosos com o próprio corpo. Isso é muito comum nas chamadas regiões abissais, as verdadeiras profundezas do oceano, onde a luz sequer pensa em chegar.

Durante um bom tempo, biólogos sempre foram maravilhados pelo “Marisco Baladeiro” (Ctenoides ales), uma espécie que faz sua parte no belo mosaico de criaturas luminosas. Até que no ano passado, descobriram que o danadinho não produz sua própria luz, mas sim usa seus “olhos” para refletir sinais luminosos do ambiente que o cerca.

Até bem pouco tempo atrás, acreditava-se que o show de luzes do simpático marisco servia para atrair outros membros da espécie para aglomeração ou acasalamento. Contudo, após pesquisarem exemplares jovens, foi constatado que não se trata de um artifício “social”, por assim dizer.

Mais ainda, descobriram que o efeito luminoso serve para alertar predadores de que aquilo ali não é uma refeição agradável. O Ctenoides ales é um marisco ciliado que produz enxofre e substâncias de péssimo gosto quando atacado por um predador – muito semelhante a algumas espécies de borboletas e sapos. O efeito de “luzes de balada” é uma espécie de aviso prévio que coloca os predadores na linha.

Fonte: Science Magazine

+Como acender lâmpadas sem fio

Deixe seu comentário