Aprenda a fazer o sensor de estacionamento de pobre

Já dizia o provérbio: “a necessidade é a mãe da invenção”. Mas vamos combinar que só de ser provérbio já passa uma vibe de ter sido pensado lá na Idade Média. E eles não são bons exemplos de invenção. Se fossem, 1/3 do continente europeu não tinha morrido por causa de cocô de rato. Então vamos modernizar e concordar que “a pobreza anda de mãos dadas com a criatividade”. É um pósvérbio. Bem mais século XXI, rede social e tal.

Vamos então dizer que você está cansado de lascar o pára choque da sua Marajó 87 no muro de chapisco que você levantou com seu cunhado num domingo de tarde quando o jogo do São Caetano tava ruim demais e a cerveja* não gelava de jeito nenhum. Nada mais adequado do que um autêntico sensor de estacionamento.

Vamos precisar de:

  • Uma garagem coberta
  • Barbante
  • Bolinha anti-stress ou de tênis
  • Fita adesiva

Deu pra entender, né? Se sua garagem tem espaço de sobra, pára de ostentar e mostra isso praquele coleguinha que tem garagem apertada. Até porque um dia pode ser o seu carro tentando entrar ou sair de uma dessas.

* Se beber, não dirija. Sério. Nem tenta entrar ou sair da garagem. Dá ruim.

+ Encha o pneu de um carro
+ Não deixe o vidro do carro embaçar

Deixe seu comentário