Tubarões são mesmo terríveis predadores dos mares?


Em 1975, muito antes mesmo do primeiro predador rugir no Parque dos Dinossauros, o cineasta Steven Spielberg imortalizou a fama dos tubarões serem terríveis monstros com um instinto assassino voraz no filme “Tubarão”. O sucesso foi tanto que rendeu várias continuações, enquanto a imagem pública dos nossos amigos de barbatana era cada vez mais negativa.

Só que não dá pra exigir muita coerência científica de um filme de ficção, por sorte temos diversos documentários e programas de ciências dedicados a explicar a natureza selvagem dos tubarões com um pouco mais de veracidade, correto?

Er… infelizmente, não é bem assim…

Um dos assuntos que repercutiram na internet este mês foi o vídeo abaixo, uma denúncia a programas sensacionalistas como o popular “Shark Week” do Discovery Channel.

A crítica principal é que, ao invés de dados científicos e informações de utilidade pública, estes programas seguem um estilo deturpado de “reality show” onde o foco principal é relatar de forma dramática episódios de ataques de tubarões gigantes, reforçando a imagem de monstros sanguinários dos bichos em busca de audiência.

Ative as legendas para assistir abaixo ao mini documentário sobre o tema:

Por coincidência, outro vídeo recém-publicado no YouTube registra um flagrante de como esta má fama dos tubarões é desproporcional à natureza.

Gravado na costa da Flórida, o vídeo mostra um pescador prestes a fisgar um tubarão-gralha-preta de 1,3 m quando um mero gigante (espécie de peixe ameaçada de extinção nos EUA) apareceu para estragar a festa:

Para tentar chamar atenção da sociedade contra a pesca predatória de tubarões (especialmente a prática desumana de cortar as barbatanas do animal, muito apreciadas em sopas na Ásia, jogando seu corpo ainda vivo de volta ao mar para virar comida para outros peixes) foi lançada a campanha de conscientização Stop Shark Finning.

O objetivo principal da entidade é conseguir que a prática seja proibida em todo o mundo, preservando as espécies que estão à beira da extinção.

E uma das peças da campanha é a imagem abaixo, que ilustra de forma impressionante a discrepância entre o número de mortes de seres humanos causadas por tubarões e vice-versa:

Deu até pra cansar o dedo de tanto rolar a tela, não é mesmo?!

O esforço é proposital, quem sabe assim a gente não começa a ter outra visão dos nossos pobres e perseguidos amigos dentuços…

Clique aqui para dar um passeio com a gente pelas belezas de El Acuario, em San Andrés (Colômbia)!

Deixe seu comentário