Ilusões de ótica para bugar seu cérebro


Se formos comparar o complexo sistema de percepção visual dos seres humanos com produtos de informática, podemos dizer que as ilusões de ótica são a prova definitiva de que nosso organismo possui alguns “bugs”.

Como o próprio nome diz, o fenômeno ocorre quando alguma situação específica (natural ou artificial) ilude o cérebro humano – nos fazendo “acreditar” que algo surreal esteja acontecendo. Muitos exemplos simples de diversas ilusões de ótica proliferam-se na internet, desde os mais antigos e-mails com apresentações de slides anexas – geralmente contendo imagens ainda mais antigas criadas por artistas adeptos da traquinagem visual. Aqui no Manual do Mundo, inclusive, nós já mostramos várias ilusões de ótica em nossos vídeos e experiências, dentre os quais destaco o impressionante desaparecimento da cabeça do Iberê, a ilusão da espiral maluca, e a imagem que fica nos olhos.

Sem nos aprofundarmos sobre os mecanismos específicos que ocasionam cada ilusão, vamos conhecer algumas outras brincadeiras clássicas que rolam por aí na forma de esquemas visuais, fotos, ilustrações, GIFs animados e vídeos. Muito cuidado para não explodir sua caixa craniana a partir de agora!


Ambiguidade

Desenhos “maliciosos” podem propositadamente confundir a percepção do observador, permitindo duas ou mais interpretações – o famoso “duplo sentido”. Abaixo, você vê um pato ou um coelho?

O mesmo ocorre abaixo, ao girar o desenho num ângulo de 90 graus, um sapo brejeiro pode se transformar num imponente cavalo:

Antes de sairmos do mundo animal, quantas patas possui o elefante abaixo?

Image7

Será que o pintor do quadro abaixo desejava retratar uma jovem donzela olhando para trás ou a caricatura de uma idosa melancólica?

A diferença de percepção pode ser explicada pela anedota que acompanha esta ilusão semelhante – como o homem vê a mulher antes (posição normal) e depois (de cabeça pra baixo) de beber algumas cervejas:

Além de piadinhas infames a técnica também é amplamente utilizada no campo das artes plásticas, como observamos na obra de Salvador Dali.

E está presente até mesmo em fotografias bem elaboradas como este “ralo oftalmológico”:

Agora observe a animação abaixo e responda: a roda gigante está girando em sentido horário ou anti-horário?

No mesmo estilo, outro exemplo muito comum de ambiguidade de movimento visa desvendar se a silhueta está girando para a direita ou para a esquerda…

Veja como funciona o truque:


Falso movimento

Cores e formas específicas poderiam “converter” magicamente um arquivo de imagem JPG numa espécie mística de GIF animado? Não é feitiçaria, é tecnologia!

A imagem abaixo é um exemplo tão clássico que talvez tenha sido desenhada até nas paredes das cavernas dos primórdios da humanidade… Focalize o ponto central e mova sua cabeça para perto e para longe da tela para ver um movimento circular:

optica2

Felizmente a criatividade de muitos ilustradores modernos acabou acrescentando muitas cores e formas “psicodélicas” para produzir o efeito em nossos cérebros…


Perspectiva

A relatividade do ponto de vista do observador também pode ser crucial para alterar nossa percepção. No exemplo extremamente clássico abaixo, qual dos círculos centrais é maior? O da esquerda ou o da direita?

Assim como no caso acima, em que ambos os círculos são do mesmo tamanho, as linhas cinzas abaixo são horizontais e paralelas, apesar de parecerem levemente inclinadas devido à posição dos quadrados pretos entre elas:

Agora, preste bastante atenção antes de sentar-se nesta cadeira…

 

Você acha que consegue montar este cubo mágico?

 

Acredita que fumar um cigarro menor pode ajudar a diminuir o vício? Ledo engano… O melhor é parar de fumar de vez!

Este “quadrado dançarino” pode não ser exatamente o que você espera…

Consegue perceber algo errado com este “cubo”?

E o que dizer então do maravilhoso telhado desta casa? Será que daria problema num dia de chuva?

Paisagens arquitetônicas e obras de arte urbanas também podem proporcionar um efeito tridimensional adorado por turistas e suas câmeras fotográficas:

Observe como a impressão de movimento também é relativa com o exemplo animado abaixo. Cobrindo o meio da imagem com as mãos temos a sensação de maior velocidade do que se cobrirmos as laterais:

 

E abaixo, uma ilusão que demonstra claramente a interferência da perspectiva na nossa percepção de tonalidades:


Ocultação

Outra ilusão de ótica impressionante ocorre quando focalizamos algum ponto específico por alguns instantes e nossa visão periférica acaba ficando “cansada” de processar as mesmas informações, acabando por confundir ou ignorar alguns elementos.

Olhe fixamente para o centro das imagens abaixo e observe a mancha cinza, as manchas coloridas e até mesmo os pontos amarelos ao redor do foco desaparecerem em cerca de 15 a 20 segundos:

Tal processo pode também embaralhar nossos nossos neurônios transformando, por exemplo, celebridades em monstros disformes:


Projeção mental

O mesmo mecanismo capaz de ocultar e deformar imagens captadas pela nossa visão periférica é capaz de projetar imagens inexistentes em nossa percepção visual. Quantos pontos pretos você consegue contar nos cruzamentos entre quadrados pretos?

Outra particularidade incrível de nosso cérebro é a capacidade de enxergarmos movimento a partir de uma sequencia de imagens estáticas:

Afastando e aproximando seus olhos da imagem abaixo, um famoso personagem da cultura pop será revelado. Você consegue dizer quem é?

E se você olhar fixamente para a imagem abaixo por alguns segundos, conseguirá logo em seguida “projetar” em qualquer superfície branca uma imagem marcante na história da civilização. Tenha fé:

Esta é outra das ilusões mais manjadas, uma espécie de “entorpecente visual”. Basta fixar a visão no centro da imagem por 30 segundos para ver tudo ao seu redor distorcido e em movimento logo em seguida (faça o teste com a foto logo abaixo se tiver coração forte):

como-cortar-cebola-sem-chorar-300x200

Mais uma bruxaria incrível da sua mente é a capacidade de “colorir” imagens em preto-e-branco sem usar qualquer tipo de pincel. Confira no vídeo abaixo:

Ou neste GIF clássico (estamos cheios de “clássicos” hoje):

 


Obviamente existem milhares de outras ilusões de ótica, mas para listarmos todas elas o banco de dados deste post teria que ocupar alguns prédios inteiros de servidores. Alguns tipos sequer foram mencionados, como as ilusões advindas do fenômeno da reflexão, como neste vídeo recente revelando um truque antigo com água:

Depois de relembrarmos todos estes exemplos da época da internet discada (alguns dos leitores nem eram nascidos), encerramos nosso passeio pelo mundo das ilusões de ótica com um vídeo que mistura música, dança, arte e ciência:

Acho que ficaram alguns nós a serem desatados nas nossas cabeças…

Clique aqui para entender como funcionam algumas das mais incríveis ilusões de óticas com nossas experiências em vídeo!!