A ciência desvendando a publicidade


Apesar de trabalhar com a criatividade como matéria-prima, a comunicação e a publicidade muitas vezes recorrem a chavões e lugares comuns para transmitir uma mensagem. Assim como as famigeradas mulheres seminuas em propagandas de bebidas alcoólicas e os bebês e animais fofinhos em peças destinadas ao público feminino, recursos audiovisuais batidos podem ser utilizados para despertar sentimentos específicos dos consumidores.

Alguns destes clichês publicitários estão reunidos no vídeo “This Is A Generic Brand Video” (“Este É Um Vídeo de Marca Genérico”), inspirado pelo poema homônimo de Kendra Eash, com o objetivo de ironizar a banalização de tais recursos e provocar os criativos das agências a buscarem ser mais originais. Confira:

Outra artimanha amplamente utilizada pela publicidade é o emprego de cores específicas para relacionar os valores desejados à marca – como os famosos letreiros de lanchonetes abusando da combinação vermelho catchup com amarelo mostarda para “despertar a fome” em seus consumidores. O gráfico abaixo, em inglês, aponta mais algumas destas associações clássicas no uso das cores:

E a utilização do conhecimento científico para ampliar o relatório de vendas das empresas não para por aí. Várias outras técnicas sofisticadas de programação neurolinguística são facilmente percebidas na comunicação das marcas.

Você provavelmente já deve ter sido fisgado por alguma promoção do tipo “compre 1, leve 2”, mesmo percebendo um aumento no preço normal do produto. Ou, ainda que subconscientemente, preferiu comprar um produto ao preço de R$ 9,99 ao invés de outro idêntico que custava R$ 10,00. Por mais que a gente saiba a diferença de um centavo é praticamente insignificante, nosso cérebro automaticamente processa a informação de que o valor com um dígito a menos deve ser muito inferior. Quem nunca achou mais razoável um produto de tamanho “médio” logo após julgar a quantidade do “pequeno” e o preço do “grande”?

O canal Nerdologia, dos nossos parceiros do Jovem Nerd, desvendaram estes e outros truques malandros da publicidade no vídeo abaixo:

Mas e quando a malandragem passa “um pouco” dos limites?

Os frequentadores da arena de hockey Century Link, em Idaho (EUA), podem responder. Há anos pagando US$ 4 pelo copo médio de cerveja e US$ 7 pelo copo grande, finalmente algum fã do esporte percebeu que havia algo errado nessa proporção à venda na arena:

Após a divulgação deste vídeo no YouTube e as reclamações nas redes sociais, os responsáveis pediram desculpas ao público e informaram que irão tomar as devidas providências.

Estamos de olho!!

Clique aqui para conhecer mais alguns segredos surpreendentes de marcas famosas!

Deixe seu comentário